Salar de Uyuni: é o maior e mais alto deserto de sal do mundo na Bolívia

Image and video hosting by TinyPic

Salar de Uyuni

Ao visitar a Bolívia o Salar de Uyuni é um lugar de parada obrigatória, você vai encontrar uma vastidão dramática diferente de qualquer outro lugar do mundo. No meio do Salar de Uyuni, é 360 graus de nada. Você vê terra branca plana e céu azul em todas as direções, Tudo faz para um ambiente que é tão sereno, mas muito intenso, tudo ao mesmo tempo.

O Salar de Uyuni é como em nenhum outro lugar no planeta Terra.

No entanto, não é só o Salar de Uyuni que faz esta aventura tão surpreendente. É apenas o ato de abertura para várias paisagens sobrenatural durante um 3 dias de turnê. Ao atravessar o terreno acidentado de Eduardo Avaroa nacional da fauna andina reserve em um 4×4 e curta a turnê

Eu já tinha alguma idéia do que esperar do Salar de Uyuni, alias tinha feito tantas pesquisas que decorei algumas paisagens e praticamente todo o roteiro. Porém não tinha noção de como é magnífico cada cenário visto pessoalmente. Lagos vermelhos, Desertos Dali, Cenários vulcânicos, e os animais selvagens andino que realmente nos surpreendeu. Foram essas visões irreais que transformaram estes 3 dias no Salar de Uyuni a turnê mais épica “off-road” que jamais poderia ter sonhado em fazer!

Outra agradável surpresa foi o preço destes passeios. Esta deve ser uma das melhores aventuras de valor baixo em toda a América do Sul.

Neste relato, a intenção é mostrar quão especial é este passeio é. Mas as palavras e as fotos não fazem justiça. O Salar de Uyuni é um daqueles lugares que você tem que experimentar. Então tem aqui todas as informações para que você possa planejar a sua própria turnê no Salar de Uyuni partindo da cidade de Sucre.

Você pode também saber tudo sobre a cidade de (Sucre – Bolívia) neste post.

A primeira parte deste post narra a viagem, mas se você chegou a esta parte procurando informações mais logísticas sobre como visitar este lindo lugar, você pode pular para qualquer uma das sessoes orientada para informações:

Sobre o Salar de Uyuni Salt Flats na Bolívia

Salar de Uyuni tem mais de 10.000 km² na região de Potosi. O sal tem mais de 10 metros de espessura no centro. Na estação seca, as planícies de sal são uma extensão completamente plana de sal seco, mas na estação chuvosa, é coberta com uma fina camada de água que ainda é dirigível.

A excursão padrão segue para o sul em direção ao canto sudoeste da Bolívia, por muitos lagos de cores fluorescentes que são criados a partir de uma coleção de diferentes minerais do escoamento das montanhas circundantes.

O Salar de Uyuni é tão grande que pode ser vista do espaço e em mapas por satélite.

Salar-Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk
Fonte: Google Maps

O depósito de sal enorme do Salar de Uyuni cobre grande parte do sudoeste da Bolívia, no alto do Altiplano da Cordilheira dos Andes. A uma altitude de 3.656 metros é um dos lugares de forma consistente planas do mundo.

O Salar de Uyuni é um remanescente de um lago gigante pré-histórico que já cobriu esta área algumas dezenas de milhares de anos atrás. Uma vez que o antigo lago de água salgada secou, ​​ele deixou a crosta de sal grosso que permanece aqui até hoje. No entanto, o Salar de Uyuni ainda se torna o lago-mais longo do ano, durante as chuvas sazonais que inundam as salinas, acrescentando uma dinâmica completamente diferente à paisagem austero. Sob condições de vento calmo, uma folha fina de água, em seguida, se forma sobre as salinas forma um espelho refletor gigante! Porém nao tive essa sorte, pois minha travessia foi em Junho época de seca no lugar, mais veja a baixo uma foto desse espelho gigante.

Hoje, o sal é extraído e colhidas a partir das salinas, não só para consumo, mas também para serem utilizados como um material de construção. No entanto, o turismo está se tornando outro grande, é justamente por isso se torna um lugar incrível para visitar!

Agora há passeios diários que partiu para explorar não só o Salar de Uyuni, mas também a alta nos Andes na área circundante.

Três dias de travessia no Salar de Uyuni – Bolívia

A turnê começou nas ruas empoeiradas da cidade de Uyuni, localizada baixo nos alcances do sudoeste da Bolívia. Este é o centro mais próximo ao Salar de Uyuni e é o local mais comum no país para começar uma turnê.

A aventura dia 01

No meio da manhã, as malas foram embaladas e jogados em cima do 4×4 que normalmente são 6 pessoas por carro. Então não se assuste, pois você pode se deparar com algumas pessoas de outros países. “É bom para praticar novos idiomas alias serão três dias de viajem”. O 4×4 sai levando todo o pessoal através do terreno acidentado durante os próximos três dias.

O 4×4 estava completo com as 6 pessoas, e era hora de começar esta aventura épica! Mas não seria viajar muito longe.

Parada no cemitério de Trens

Cemitério de comboios de Uyuni é o lugar onde os trens passaram a morrer. Na década de 1940, quando a indústria de mineração da Bolívia em colapso, e os trens começaram a amontoar-se onde ainda permanecem até hoje.

Trens abandonados

A maioria dos trens que podem ser encontrados no cemitério datam do início do século 20 e foram importados da Grã-Bretanha e de outros lugares do mundo. Agora este cemitério de trem se tornou uma atração bizarra neste vasto deserto no sul da Bolívia.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_03
Textura do ferro

Ela se sente como uma espécie de deserto pós-apocalíptico. Você a todo tempo subir em cima e rastejar através destes antigos vagões de trem abandonados. É ao mesmo tempo estranho e fascinante!

E logo na primeira dropada, minha calça rasgou e logo apareceu o buracão na parte de baixo.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_02
Escondendo o buraco da calça

Cidade de Cochani

Depois de passear pelo Cemitério de Trens fizemos uma breve parada na pequena cidade de Cochani. Lá você pode compar água e alguns quitutes para segui com a jornada. Você pode também fazer compras de artesanato vestuário e afins. Cochani é também onde você pode visitar o Museo de la Llama y la Sal.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_07
Lojas da cidade de Colchani

Sim, é um museu dedicado ao sal e lhamas. Como você pode não entrar?

O museu não é muito grande e cheio de exposições, tem uma quantidade de bonecas Barbie boliviano recriando cenas de mineração de sal, que vale uma boa risada. Mas há realmente algumas boas informações e também é apresentado em vários idiomas.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_06
Entrada mo museu

Além disso, o modesto 5 BOB é a taxa de entrada que inclui o uso dos sanitários. Então vá verificar um pouco de sal e lhamas antes de aliviar a bexiga!

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_05
Interior do museu

Ojos del Agua

Agora a viagem para os departamentos do Salar de Uyuni começa, a excitação cresce à medida que o 4×4 começa a passar sobre a crosta branca e espessa. Não demorou muito até que fomos capazes de esticar as pernas na Ojos del Agua. Isso é os “olhos de água”, que é uma fonte borbulhante no meio das salinas.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_01
Águas borbulhantes
Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_02
Sal amarelo

Seguimos para o Monumento das bandeiras e Dakar. Construído de Sal, o monumento representa a passagem do RALLY DAKAR pelo deserto de UYUNI. O Rali Dakar é a mais longa e mais dura prova de rali em Todo-terreno do mundo. A prova acontece anualmente na América do Sul, começando sempre na primeira semana de cada ano. Competem as categorias de automóveis, motos, caminhões e quadriciclos.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_03
Monumento Dakar
Monumento das Bandeiras

Em seguida, fizemos uma parada para o almoço. O hotel é construído inteiramente de sal como todo os lugares do Deserto de sal. Claro, é impressionante, mas é o ambiente estéril das Salinas que realmente emociona.

Comemos frango, saladas e massas de almoço, era decente, embora um pouco sem graça. Tinha que colocar um pouco mais de sal.

Pedimos o nosso guia algum “sal” e ele simplesmente apontou para o chão. Alias o lugar todo era feito de sal. Eu acho que ele não fica muito mais fresco do que isso!

Voltando para o 4×4, é uma longa jornada em direção a vasta extensão do Salar de Uyuni. Não há nada mas azul e branco em todas as direções. É desorientador às vezes e faz você se perguntar como os drivers são capazes de navegar neste trecho maciça de nada.

Salar de Uyuni

Eventualmente nós paramos em um ponto onde nós literalmente nos sentimos como se estivéssemos no meio em lugar nenhum. A paisagem austero era desprovido de qualquer coisa, tanto quanto os olhos podiam ver. Os picos dos Andes altos que antes eram iminentes na distância tinham desaparecido.

 

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_08
Deserto de Sal
Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_08
Deserto de Sal
Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_08
Deserto de Sal
Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_08
Deserto de Sal

Este é o ponto durante a turnê onde você tem uma oportunidade para parar e tirar fotos engraçadas usando perspectiva forçada.

Ilha Incahuasi ou Fish Island

A próxima parada nesta turnê na Bolívia do Salar de Uyuni era de fato uma ilha!

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_01
A ilha

No meio do deserto de sal branco existe a ilha Incahuasi, ou Fish Island, é nomeado como tal por causa de sua forma. Estávamos viajando com firmeza na terra o tempo todo, mas esta colina brotando das salinas de Uyuni, ainda muito sentida como uma verdadeira ilha neste mar de sal. Depois nada fundo branco, é uma visão estranha para ver surgir do nada.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_02
Entrada da Ilha

A “ilha” é formado a partir de coral petrificado. Afinal, esta área tinha sido o topo de um vulcão antigo sentado em um lago pré-histórico. Hoje enormes cactos assumiram o terreno rochoso. Como nós caminhamos ao redor da ilha admirando os cactos, os nossos pulmões logo foram lembrados sobre a alta altitude no meio da extensão de outra forma plana do nada.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_03
Varios 4×4 Das Trips

Primeiro dia no Hotel de sal

Além de algumas portas e vigas de madeira, todo o hotel é feito de sal! As paredes são sal. As cadeiras e mesa na sala de jantar são o sal. Tudo é salgada!

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_06
Quadro da Árbol de Piedra

É um grau diferente de sal que é usado para a construção do que você está acostumado a tremer de um saleiro. A construção é uma estrutura muito sólida. Não está desmoronando em tudo, é tão forte como o cimento endurecido no Brasil.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_05
Mesas e Bancos de sal

Os quartos de hotéis de sal são completamente estéril, mas as camas são confortáveis ​​o suficiente. Certamente não foi a nossa melhor noite de sono, mas fomos capazes de cochilar muito bem. E este hotel de sal tem é um dos lugares mais originais e interessantes que eu já dormi!

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_04
Camas de sal

A aventura dia 02

 O segundo dia desta grande aventura deixa as salinas inteiramente e viaja na alta dos Andes do sul da Bolívia. Para a maioria das pessoas, o Salar de Uyuni em si é o destaque de  3 dias de turnê. Porém existem muito mais que sal branco e céu azul.

Logo soubemos isso em primeira mão, como os altos picos dos Andes começou a entrar em vista como a unidade de manhã começou. Este é o lugar onde nós visitamos uma cidade local, aparentemente no meio do nada, então esticou as pernas em alguns trilhos de trem que levam ao Chile.

Salar de Chiguana

Tendo deixado o Salar atrás de nós, nós estávamos dirigindo pelas terras planas e pelo deserto de Chiguana por um longo tempo.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_08
O mesmo trilho do início

Em seguida foi a linha férrea que parte de Uyuni e segue até Calama, no Chile. Esta ferrovia é usada para o transporte de mercadorias e matérias-primas.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_07
Eu gosto desse ângulo

Depois de um tempo, observando as mesmas paisagens ao seu redor faz você tirar uma soneca com o aquecedor ligado no carro. E é isso que eu fiz!

Mirante do vulcão Ollague

Dirigindo mais adentro do deserto, você está parado em algumas formações rochosas maciças e bem no topo da montanha a 5.840 metros de altura há um vulcão semi-ativo chamado Ollague. Você precisará de binóculos para poder ver o vapor saindo no topo da montanha.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_02
Veja no 4×4 a dimensão desse lugar

Alguns turistas desorientados, já tentaram realmente escalar este “monumento” independentemente dos sinais colocados em todo o lado proibindo fazê-lo, mas foi gritado por todos os guias turísticos! Respeite a natureza, respeite as pessoas, respeite as emoções.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_01
Pebolim no Salar de Uyuni. Mirante Vulcão Ollague (Brazil 2×2 France)

Laguna Cañapa

Quando a movimentação fica realmente  acidentada, você sobe mais alto em curvas estreitas e estradas rochosas, até que depois de um tempo o guia anunciou que estaríamos chegando à lagoa andina chamada Laguna Cañapa, com flamingos. Olhando para o futuro, tudo o que podemos ver eram montanhas e deserto; Então, com curiosidade em nossas mentes, recebemos uma resposta dele “espere e veja”. E nos 10 minutos seguintes ao redor da curva da montanha havia um grande lago com flamingos cor-de-rosa

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_04

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_05

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_06

Árvore de pedra

A formação rochosa mais famosa é a Arbol de Piedra, faz para alguns grandes “ops” de fotografia. Uma pedra de 7 metros em forma aproximada de uma árvore. Anos de erosão de areia e vento criaram sua forma peculiar. Seu tronco é longo e estreito, e o dia em que a coisa toda tombar certamente não pode ser longo. A Arbol de Piedra tem o formato do continente Africano, chamada também de Rock Tree e Stone Tree.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_07
É uma grande arvore de pedra

Enquanto continuávamos nossa jornada, os picos dos Andes estavam sempre presentes, constantemente mudando para revelar novas facetas, e passei uma longa parte da jornada olhando sem palavras pela janela.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_08
Como todos os lugares, placas de informação

Parada para o Almoço

Não vou negar e até parece estranho, como tinha pesquisado tanto essa travessia, a parada para o almoço, era pra mim, uma das partes que eu estava esperando.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_01
O rango esperto

Não pela comida, porque eu já sabia que seria: frango, saladas e massa, mais pelo fato de ser o lugar mais loco que já fiz uma refeição na vida, pode crê! é uma sensação de liberdade total. Minha saúde é muito boa, tenho um corpo muito resistente, raramente tenho algum tipo de complicação, então posso desfrurtar de muitas atividades envolvendo refeições, bem difícil eu passar mal, por isso peguei logo a coxa do frango mesmo com luvas de lã e taquei na boca.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_02
Diga onde pisas que dou like. rs!

Em algumas fontes de pesquisas eu observava as fotos das pessoas almoçando no meio do deserto, eu ficava doido ao ver tudo isso!

Quebrei totas as regras de um almoço convencional, nada de talheres e afins. Nossa que momento mais feliz foi esse!

Teve também um pouco Viscacha esse animal se parece com um coelho gigante com uma cauda mais longa. Aparentemente, é um tipo da chinchilla, e come muito bem por sinal, demos cenouras e carne de frango

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_03
Bem comilona essa Viscacha

Laguna Colorada

Em pouco tempo estávamos na entrada da Reserva Nacional Andina Fauna Eduardo Avaroa, onde você paga 150 Bs como taxa de entrada. Dependendo dos níveis de neve lá, os guardas florestais avisarão se é seguro entrar na reserva e dirigir até Laguna Colorada. Felizmente para nós, a neve derreteu o suficiente para nós visitarmos esta espetacular Lagoa Vermelha. A cor branca das ilhas de bórax contrasta com a cor avermelhada de suas águas, que é causada por sedimentos vermelhos e pigmentação de algumas algas.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_04
Vou ali ser feliz e ja volto.

Passamos mais uma noite em um dos hoteis de sal, já dentro do parque Eduardo Avaroa.

Foto sem Photoshop, esse lugar existe de verdade.

OBS. Pergunte sempre ao guia se é possível alguma atividade noturna. Nesta noite na Laguna Colorada fui sair sem pedir pois sou extremamente fissurado pelo céu da noite, e nesta área tem a Onça-parda ou Puma, também conhecida no Brasil por suçuarana e leão-baio, é um mamífero carnívoro da família Felidae e gênero Puma, nativo da América. Por isso fui impedido de fazer um tour no noturno.

http://dastrips.com.br/wp-content/uploads/2018/10/Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_05-4.jpg
Siga sempre as orientações das placas

A aventura dia 03

Saímos bem pela manhã, praticamente com céu ainda preto do final da noite. Chegamos em uma área que estende-se por 10 km2, entre 4800m e 5000m de altitude.

Geisers Sol da Manhã

Esta área é caracterizada por intensa atividade vulcânica e o campo de enxofre está cheio de lagos de lama e piscinas a vapor com lama fervente. A exploração industrial foi tentada no final dos anos 80, mas é antieconómica. Ainda existem vários poços, um dos quais emite vapor pressurizado, visível pela manhã até 50 metros de altura. Os principais lagos de lama estão localizados a 4850m. O campo é sismicamente ativo.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_07

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_09

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_10

Termas de Polques

Não muito longe de toda a ação dos Gêisers temos uma piscina de água quente. As temperaturas neste lugar de alta altitude estão abaixo da marca de zero.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_01
O termômetro marcava -10 graus pela manhã

Despir-se em um ambiente tão frígido é enervante. Mas tirando essas camadas exteriores quentes é inevitável se você quiser dar um mergulho nas águas quentes naturais.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_02
Piscina com agua quente

Eu escolhi não entrar, preferi apreciar as paisagens que misturava o nascer do sol com as montanhas em toda volta, e ao fundo saindo muito vapor, tinha uma pequena laguna que se formava com as aguás que vazavam das piscinas quentes.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_03
Tipo guardião do deserto

Mesmo sabendo que era um banho de forma primitíva, aquele banho bem diferente de qualquer outro lugar. Meu trabalho de aclimatação feito des do início lá em sucre iria por água a baixo. Eu tinha pela frente o Deserto do Atacama e Santiago no Chile, a travessia passava por varios momentos em temperaturas que chegaram a -10, entrar em uma piscina com agua quente, e depois sair com a temperature baixa, na minha opnião não vale a pena.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_04
O paraíso das aguas termais

Laguna Verde e mirante do Vulção Licancabur

Continuamos no parque Eduardo Avaroa Nacional da Fauna Andina e reserveas das mais belas montanhas circundantes que nos parecia crescer mais e mais. Isto é, quando as coisas realmente começaram a tomar um rumo, já estava na hora de partir, tinha pela frente o Atacama e Santiago no Chile. A Bolívia nos serviu de varios pratos de surrealismo.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_05

O ultimo aperitivo começou com um lago verde, apropriadamente chamado “Laguna Verde” ou “Lagoa Verde.” Arsênico e outros minerais da o lago sua aparência verde, que muda de cor com base em ventos e níveis de sedimentos. E enquanto o lago é bonito, você não pode deixar de também admirar o Vulcão Licancabur iminente que atuam como plano de fundo, parece até uma pintura em tela.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_06
Praticamente um obra de arte

Licancabur é um vulcão localizado entre o Chile e a Bolívia, nas proximidades de San Pedro do Atacama, no Chile, e a sudoeste da Laguna Verde, na Bolívia. O vulcão domina a paisagem da área do Salar de Atacama e é possível avistá-lo praticamente o tempo todo, exceto nos dias que a região apresenta céu encoberto – o que é raro.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_07
É hora de dar tchau

A ascensão ou escalada até o topo dos seus 5.916 metros de altitude pode ser realizada somente com acompanhamento de guias locais especializados em alta montanha. É considerado um vulcão semi-ativo. A sua última erupção foi no dia 30 de outubro de 2015.

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_08
Sentido deserto do Atacama – Chile

Você pode esta conversando com qualquer pessoa ao seu lado, porém não para de olhar para ele é uma beleza de outro mundo, é tão grande que parece que esta perto

Uyuni_Das-Trips_Leandro-Mikk_09
Panorâmica da Laguna Verde – Chile

Algumas considerações

Bem, se você for a San Pedro Atacama, no Chile, você também pode fazer essa travessia de forma contrária. Eu escolhi passar na cidade de Sucre. Mas aqui estão alguns itens necessários que você precisa levar:

Lenços de papel – para cada uso de toalete, você tem que pagar de 2 a 5 bolivianos, ou pode fazê-lo no mato!

Thick Jacket – está muito frio à noite!

Lanterna – apenas no caso de você quiser observar estrelas e passear à noite.

Bateria extra / carregador de bateria portátil – a eletricidade é limitada e sua câmera pode estar com pouca bateria no segundo dia!

Lanches – a água e as refeições são fornecidas, mas apenas no caso de você quiser mastigar alguns alimentos durante a viagem, tenha uma reserva

DINHEIRO – Sim, você precisa levar alguns bolivianos com você, embora você ache que a turnê incluirá a maior parte do que você precisa, ainda precisa pagar o seguinte:

150 bolivianos – taxa de entrada para a Reserva Nacional para visitar Laguna Verde, etc

10 a 20 bolivianos – se você quiser o banho quente

2 a 5 bolivianos – para o banheiro

6 bolivianos – para a fonte termal (Aguas Thermales)

15 Bolivianos – para o seu carimbo de saída na fronteira boliviana para San Pedro Atacama. Embora o nosso visto para entrar na Bolívia seja GRATUITO, a imigração cobrará isso. Se você se recusar a pagar, ele se recusará a lhe dar o carimbo de saída. Nós não sabemos se isso é legal.

Você também pode contratar a travessia em Uyuni Salt Flat

 

Conheça mais sobre Leandro Mikk:
https://www.instagram.com/leandro_mikk/

 

Pra você que é #Das Trips e vai fazer o seu primeiro Mochilão na America do Sul, essa é uma ótima opção para o seu roteiro.

Gostou?

Deixa aí um comentário.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.